Ôxetoberfest: a primeira cerveja brasileira nasceu nordestina

Você pode até duvidar, mas em terra onde a cachaça é símbolo indiscutível da cultura nordestina, a cerveja clama por atenção. No final do mês em que se comemora a Oktoberfest, em Blumenau (SC), agraciada esse ano com o título de Capital Nacional da Cerveja pelo governo federal, já dá para pôr também no calendário uma parente distante chamada de Ôxetoberfest.

Em sua segunda edição, contando com mais de 20 rótulos de cervejas de toda a região, a Ôxetoberfest – enquanto as oktoberfests tradicionais do mundo dançam polka, comem apfelstrudel, vestem lederhosen e bebem cervejas de estilos alemães, a Ôxetober dança forró, come bode, veste chapéu de couro e bebe cervejas nordestinas – encerra o circuito cervejeiro de Maceió (AL), no próximo sábado (28), no Espaço Pierre Chalita, bairro da Pajuçara, com muita cerveja artesanal, comidas típicas e música regional.

Mas antes de falar sobre o evento, vamos contar abaixo uma história peculiar e muito pouco conhecida, de modo a fechar com chave de ouro todo o percurso que fizemos até aqui com os eventos anteriores do Circuito Ôxetoberfest.

Oktoberfest inspirou evento nordestino (Foto Oktoberfest / Divulgação)

Outubro cervejeiro

Em alemão, “Oktober” significa outubro, e “Fest“, festa ou festival. O mês foi escolhido após o rei bávaro Ludwig I ter tido a brilhante ideia de celebrar seu casamento com uma baita comemoração regada a muita breja e comida na cidade de Munique, em 1801. Coincidência ou não, o mesmo mês denota outro fato histórico, mas ocorrido em terras tupiniquins e que marca a chegada da cerveja no Brasil. Foi em 1640, durante o período em que desbravadores holandeses dominavam o Nordeste, que foi criada a primeira cerveja brasileira e, por tabela, a primeira cervejaria nacional.

“Ôxe, como é que é?”

É exatamente isso, há quem diga que a primeira cerveja brasileira e primeira cervejaria nasceram após a ancoragem das esquadras holandesas do conde Maurício de Nassau, durante o século 17. Com isso, o líquido sagrado recebeu mais do que uma atenção especial. Nassau trouxe na bagagem filósofos, cientistas, pintores, astrônomos e até… opa, um mestre cervejeiro chamado Dirck Dicx!

Oficiais da esquadra de Maurício de Nassau. Dirck Dicx é o segundo da direita para a esquerda.

A pedido de Nassau, talvez como forma de apaziguar os ânimos das tropas em guerra pela Nova Holanda (o Brasil holandês dominou quase todos os 9 estados nordestinos), a fábrica foi criada em outubro de 1640, mais precisamente no bairro das Graças, em Recife (PE). Intitulada de “La Fontaine”, expressão francesa para “A Fonte”, em 1641, a cervejaria de Nassau, que foi alugada a um preço de 1.500 florins, já distribuía em todo território recém-tomado dos portugueses a primeira breja brasileira: uma cerveja encorpada, com cevada e açúcar.

Caneca em estanho similar à utilizada pelos holandeses no Nordeste brasileiro.

Com a derradeira expulsão dos holandeses do Nordeste, em 1654, a cerveja perdeu popularidade porque no restante dos territórios dominados pela Coroa Portuguesa havia o monopólio do comércio de importação do vinho – bebida exclusiva de Portugal. Foi então que, a partir desta data em diante, a história da cerveja no Brasil sofre um hiato até meados de 1808, quando a família real portuguesa aporta no Rio de Janeiro, fugindo da guerra napoleônica iniciada na Europa.

Bebedor nato de uma boa breja e boêmio experiente, o rei Dom João extinguiu a restrição e decretou a abertura dos portos às nações aliadas, principalmente a Inglaterra, de onde o Brasil passou a importar cervejas. Somente depois desse decreto, na segunda metade do século, por influência da imigração, a preferência passou a ser pela cerveja alemã, mais clara, límpida e que agradava mais o paladar brasileiro.

Ôxetoberfest

O que mudou de Dom João para cá? O Brasil se transformou no terceiro maior consumidor de cerveja do mundo, de acordo pesquisa recente divulgada pelo Sebrae. O levantamento revela ainda um dado curioso: o fato do elevado interesse pela bebida não acompanhar nem de longe o consumo de cervejarias nacionais, que ultrapassam a marca de 600, segundo levantamento divulgado em 28 de agosto no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Pois foi visando reaproximar a cultura nordestina da cultura cervejeira que nasceu a Ôxetoberfest. Criada em 2016 pela Confraria Beermoon, dos alagoanos Bruno Peixoto (sommelier de cerveja) e Ivana Teles que conta com a chegada de Guilherme Jordão (chefe de cozinha), o projeto se torna parte do calendário alagoano e nordestino a partir desta nova edição 2017.

(Foto Ôxetoberfest / Divulgação)

“A Ôxetoberfest do ano passado foi um laboratório, a confraria começou no final de julho, então a ‘Ôxetober’ ocorreu três meses depois. No ano passado foi um open bar com uma estrutura menor e que deu umas 200 pessoas”, diz Bruno Peixoto.

Agora a festa espera mais do que triplicar esse número. Ao todo serão quatro cervejarias alagoanas (Caatinga Rocks, DasLagoas, Cevada Pura/Deodora e Hop Bros), três pernambucanas (DeBron, Duvália e Ekaut) e uma potiguar (Raffe), totalizando mais de 20 rótulos artesanais. Todas as cervejas estarão ainda com preços subsidiados até 40% mais baratos que o normal, custando a partir de R$ 5 e, para quem não for cervejeiro ainda, a Ôxetoberfest também traz alternativas: caipifrutas e coquetéis com frutas da região.

Cervejaria DeBron, de Pernambuco, na Ôxetoberfest 2016. A cervejaria tem como inspiração a história de Dirck Dicx.”Debron” significa “A Fonte” em holandês (Foto: Beermoon / Divulgação)

Entre as apresentações culturais previstas, estão a roda de capoeira, o coco de roda e show de forró pé-de-serra com Milla do Acordeon. Para embalar a noite, outro show, mas da banda de pop rock Som de Vinil. O evento contará também com Praça de Alimentação com os restaurantes Arri, Divina Gula, Santo Orégano, Fusion Grill, A Pastella, Tapioca Maria Bonita e Budega da Macaxeira. Tudo em ambiente climatizado, seguro e confortável.

Para saber mais e participar dessa nova história cervejeira que está sendo escrita basta acessar: www.oxetoberfest.com.br para garantir logo o seu ingresso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: