Beba local: o que isso realmente quer dizer?

O Brasil passa por um processo de aprendizagem e amadurecimento na gastronomia – basta ver a explosão de programas televisivos sobre o gênero e o interesse crescente de pessoas pelos mais diversos campos da culinária. Com a cerveja não poderia ser diferente. Após anos consumindo brejas que pouco se diferenciam uma das outras, o consumidor agora desbrava um universo de artesanais e se depara com uma expressão repetida quase sempre à exaustão em todo evento cervejeiro: “Beba local”, ou melhor, #BebaLocal.

Mas e o que significa beber localmente? Para isso entrevistamos Vitor Falcão, presidente da Associação de Cervejeiros Caseiros de Alagoas (Acerva-AL). Vitor nos explica que essa expressão é uma forma de valorização do produto da sua região. Sendo assim, muito mais do que uma simples hashtag boba de internet, Beba Local é um mantra adotado por todas Acervas na educação de uma cultura de cervejeiros autônomos e independentes.

“São dois fatores que explicam essa expressão. Primeiro, a cerveja é um produto sensível, pois ela sofre com o transporte. Vejamos. Quando você pega uma cerveja que vem da Alemanha e chega aqui, nesse translado, ela sofre e não chega do mesmo jeito. Isso é um ponto, então quanto mais perto você estiver da cervejaria, melhor, pois vai beber sempre uma cerveja mais fresca”, explica Vitor Falcão.

Vitor Falcão (ao centro), presidente da Acerva-AL durante a brassagem(Foto: Leandro Santos / Breje-se!)

O outro ponto é a questão social. Vitor esclarece que quando você opta por tomar produtos locais você fomenta à atividade econômica regional, o que mantém a circulação de dinheiro e a geração de empregos onde você reside. “A cervejaria está pagando imposto e este é revertido para o estado, então você está fazendo aquele dinheiro circular e por isso aquece a economia. O movimento ‘beba local’ é exatamente essa ideia”, explica.

Se o lúpulo é uma planta trepadeira que exige condições climáticas muito específicas para produzir, tendo os Estados Unidos os maiores produtores, bem como o malte de cevada, que tem na outra mão a Alemanha como o maior produtor, quando se fala em beber localmente, se fala também em optar por cervejas feitas com ingredientes regionais. Neste caso, o Brasil é campeão na utilização de frutas tropicais em cervejas.

Com isso, a cultura do “local” – se aplica tanto às bebidas, quanto à comida ou a qualquer bem de consumo. Foi com o uso de ingredientes locais que, em agosto deste ano, a Colorado Murica, uma cerveja de graviola da Cervejaria Colorado, conquistou o título de melhor Cream Ale do mundo, no Oscar da Cerveja – World Beer Awards 2017. Diversas outras cervejarias apostam também nessa mesma mistura de receitas como a Tupiniquim (Saison de Cajú) e Baden Baden (Golden com canela e frutas vermelhas). No caso de Alagoas, a Caatinga Rocks, com a sua sazonal Alagoas Pale Ale, que leva a adição do umbu-cajá, ou mesmo a Hop Bros, com a Saison de cana-de-açúcar, investem em insumos encontrados facilmente na agricultura característica da região.

BeerOut

Atualmente a Acerva alagoana possui 54 associados entre cervejeiros locais e apreciadores. A associação, que tem por objetivo difundir ainda mais esse hobbie de tomar cerveja local, promove, no próximo dia 2 de dezembro, um open bar somente com cervejas caseiras.

“O Beer Out é um evento da Acerva que vamos fazer no Hostel Paraíso da Garça [Litoral Norte de Maceió]. O evento é o seguinte, os cervejeiros caseiros e os associados produzem a cerveja e eles colocam essa cerveja nessa festa, então o open bar é feito pelo pessoal que produz em casa. Com isso você tem uma diversidade absurda de cerveja para provar”, explica Vitor Falcão.

Ao todo serão mais de 20 estilos e um número incontável de cervejas. Para participar basta entrar no site da Acerva Alagoas, se cadastrar e garantir logo a sua entrada.

Bern Beer

Madson Cardoso é o proprietário do Bern Beer, o primeiro empório da parte alta de Maceió (Foto: Leandro Santos / Breje-se!)

Quem acompanha o Instagram do Breje-se deve ter visto, no último dia 12 de novembro, a cobertura que fizemos in loco de todo o processo de produção de uma das cervejas que estará no evento: a American IPA feita pelos alunos do I Workshop Acerva do Bern Beer. Para quem não sabe, o Bern Beer é um empório de cervejas artesanais e especiais que funciona na Galeria Boulevard 1089, na Serraria, parte alta de Maceió (AL).

Alunos durante o Workshop Bern Beer (Foto: Leandro Santos / Breje-se!)

“Alguns anos atrás conheci as cervejas artesanais e não parei mais. Minha formação é toda da indústria e aí pensei em fazer algo voltado para a cerveja, foi quando decidi abrir um empório”, conta Madson Cardoso, proprietário do lugar.

Com um espaço pequeno, mas bem familiar e convidativo para degustação com amigos, a casa, inaugurada neste segundo semestre, conta com a carta de 25 rótulos entre cervejarias locais, nacionais e internacionais. Aos ensinamentos do professor Vitor Falcão, os estudantes ajudaram na elaboração em panela de uma American IPA que será degustada durante o BeerOut. Ficou curioso para saber qual foi o resultado?

Anúncios

2 comentários em “Beba local: o que isso realmente quer dizer?

  1. Tive a oportunidade de conhecer a cerveja artesanal com a Bern Beber e fiquei encantado. Desde então sempre faço uma visita para degustar novos rótulos.

    Curtir

    1. Fala Wanderson! A Bern Beer foi uma ótima sacada porque privilegia essa parte alta da cidade, onde antes não tinha essa opção. É uma boa também para ficar atento aos novos eventos cervejeiros da cidade. Nós adoramos!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s